Portojóia: o estado da arte da joalharia portuguesa 14.05.2018
É dos setores com maior tradição em Portugal, mas regista hoje em dia uma evolução e dinâmica sem precedentes.
É dos setores com maior tradição em Portugal, mas regista hoje em dia uma evolução e dinâmica sem precedentes. A 29ª edição da Portojóia – Feira Internacional de Joalharia, Ourivesaria e Relojoaria traça o retrato de um setor em renovação e aponta as tendências que irão moldar o mercado nos próximos anos.

A 29ª edição da Portojóia, principal montra ibérica do setor da joalharia, ourivesaria e relojoaria, acontece de 27 a 30 de setembro na Exponor, e surge com um formato totalmente renovado, dedicado a identificar as tendências e comportamentos que irão revolucionar o setor nos próximos anos.

Do efervescente surgimento de novos designers e de marcas de autor aos novos comportamentos do consumidor, são muitas as dinâmicas que influenciam o mercado da joalharia. Atenta a esta mudança de paradigma, a Portojóia criou várias iniciativas e novos espaços que espelham o que está a mudar no setor e traçam diretrizes sobre o que o irá influenciar nos próximos anos.

Um olhar crítico e construtivo sobre a indústria, os canais de distribuição, o mercado e o consumidor. A começar pelo tema que serve de mote a esta edição: “The Need of Me”, ou seja, “o culto do eu”, que determina a forma como o consumidor se relaciona com as marcas e o papel dos influenciadores e das redes sociais no processo de decisão de compra.

Segundo Amélia Monteiro, diretora do certame, “O mercado da joalharia está a evoluir a um ritmo vertiginoso e é imperativo acompanhar as novas dinâmicas e tendências. Sendo um evento vocacionado para profissionais, queremos que a Portojóia se posicione não apenas como uma montra de tendências, mas também uma plataforma de partilha de informação e de inspiração, que contribua para impulsionar toda esta dinâmica que o setor vive atualmente”.

Entre as novidades está o espaço “Jewel’s labs”, uma área que pretende destacar as tendências de exposição e venda de joias, marcadas pelos novos conceitos de vitrinismo e de abordagem ao consumidor. E porque este é um setor que se tem vindo a posicionar junto da fileira do design e da moda, o certame irá convidar artistas de outras áreas criativas para duetos com marcas e designers de joias, numa área designada “Art & Jewels”.

Para além das novidades, mantêm-se as iniciativas que têm vindo a ganhar cada vez mais relevância. O “Prémio Best Of 2018”, que vai na sua terceira edição, volta a reconhecer o talento e criatividade do setor em oito categorias: Designer Revelação, Melhor Inovação, Melhor Montra, Melhor Loja Física, Melhor Loja Online, Melhor Montra Stand e Melhor Stand. E os novos talentos ganham palco no evento através da 14ª edição do concurso “Prémio Portojóia Design”, subordinado ao tema desta edição, “The Need of Me”. Recorde-se que esta iniciativa se dirige a estudantes e formandos de cursos de arte, design e ourivesaria, que se habilitam a participar no Espaço Criadores e a integrar o espaço Incubadora de Joalheiros durante dois meses.

A Portojóia – Feira Internacional de Joalharia, Ourivesaria e Relojoaria tem vindo a registar um positivo crescimento nos últimos anos, bem como projeção internacional. A edição anterior reuniu 150 expositores e mais de 10.000 visitantes, sendo que cerca de 270 viajaram de países como Espanha, Reino Unido, França, Alemanha, Itália, Holanda, Brasil, Roménia, Irlanda e Roménia.

Fonte: Silver Lining
<< voltar